Metodologia

EXAMINADORAS

Todos os exames serão avaliados por examinador, o qual deverão ser certificados e autorizados pela CNEart, ENBC e ENBC/BR.
Cada examinador será aprovado por um processo rigoroso de seleção e por um programa de treinamento antes de ser nomeado como tal, fazendo parte do “Painel de Examinadores” com seu currículo completo e distinção dentro do Programa.

Com sua especialidade profissional diferenciada e a capacidade para criar um ambiente receptivo e tranquilo, passando confiança aos alunos na sala de exame, o examinador com certeza garantirá um padrão alto e positivo durante a execução dos exames.

A função dos examinadores é ajudar as escolas a usarem o programa de ensino da ENBC/BR cada vez com mais qualidade e incentivar os alunos para que trabalhem motivados.
Lembre-se sempre de que estamos trabalhando educação através da dança e esse binômio dança-educação deve ser respeitado por todos.

Paula Castro

“Ao começar a estudar ballet, aos oito anos de idade, nunca pensei que ao conseguir executar meu primeiro salto, esse me conduziria ao estudo da dança de forma tão intensa, a ponto de considerá-la um paradigma para minha vida.

Durante todo o meu processo de formação, percebi a pouca preocupação dos professores em educar através da dança, ensinando simplesmente a dançar. Enquanto professora, assumi a postura de mostrar aos meus alunos que dançar não era apenas uma arte estética, mas uma arte formadora e transformadora, capaz de ajudá-los, de diferentes maneiras, a conquistar seus sucessos pessoais.” – Paula Castro

Paula Castro nasceu em São Paulo em 1952 e graduou-se em Educação Física pela Faculdade de Educação Física de Sorocaba, em 1974, e em Pedagogia pela Faculdade Oswaldo Cruz, em 1976. Iniciou-se na dança através da Escola Municipal de Bailados, em São Paulo onde se formou como bailarina.

Em 1977 fundou o Ballet Paula Castro e 5 anos após sua fundação criou a “dança e cia.” que foi durante 10 anos a companhia profissional do Ballet Paula Castro.Fez vários cursos de especialização em ballet clássico em diversos países e em 1988 instituiu no seu programa de ensino com as deliberações 15/88 e 9/81 o ensino oficializado de dança no Brasil a qual foi pioneira.

Em 1996, tornou-se mestre em Dança pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo com a tese “A implantação, no Brasil, do método de ensino do ballet clássico da Escola Nacional de Ballet da República de Cuba, como um novo paradigma para a Dança”.

Hoje é maitre de ballet, diretora da escola e é sempre convidada a fazer parte da banca de jurados de algumas competições internacionais de ballet clássico como em Havana – Cuba e em Vignale – Itália ao lado de nomes como Fernando Alonso ( Cuba), Ramona de Saá (Cuba), Rosa Folgado (Espanha) ,Joseph Fontano (itália) Frank Andersen (Dinamarca) e Carlos Paulilo ( venezuela).

Ramona de Sá

Ramona de Saá, destacada Maître de Ballet, é uma das figuras mais notáveis da Pedagogia da Dança no mundo contemporâneo, reconhecida internacionalmente como criadora da Metodologia de Ensino de Ballet de Cuba.

Atualmente Ramona é Diretora e Professora da Escola Nacional de Ballet de Cuba (ENBC) e Professora Adjunta do Instituto Superior de Arte de Cuba e Metodóloga do Centro Nacional de Escolas de Arte de Cuba (CNEart).

Discípula de Alicia Alonso, Ramona realizou seus estudos de ballet na Academia Alicia Alonso, tendo aulas também com renomados mestres como Maga González, Mary Skeping, Ana Ivanova, A. Fedorova e José Parés.

En 1954 formou-se bailarina internacional pelo Ballet Alicia Alonso, uma das escolas mais importantes e reconhecidas da América Latina.

Bailarina fundadora do Ballet Nacional de Cuba (1959), Ramona tornou-se uma das principais figuras jovens do ballet de sua época, assim como Loipa Araujo, Mirta Plá, Josefina Méndez, Aurora Bosch e Margarita de Sáa, alcançando a categoria de solista e interpretando os principais papéis nas mais importantes obras do repertório bailarinístico internacional até que uma lesão incurável a tirou dos palcos e a aposentou depois em 1966, depois de 12 anos de trabalho intenso interpretativo.

Fundadora, sob a direção de Fernando Alonso, da Escola de Ballet de Cuba e da Escola Nacional de Arte (1962), Ramona assumiu em 1965 a direção dessa instituição na qual se formariam centenas de bailarinos cubanos. Onze anos mais tarde (1976), ao criar-se o Ministério da Cultura em Cuba, Ramona foi promovida a Metodóloga Nacional da Direção de Ensinamento Artístico – atual Centro Nacional de Escolas de Arte de Cuba (CNEart)

Ramona foi maestra dos principais figuras do Ballet Nacional de Cuba, como os primeiros bailarinoa Amparo Brito, Rosario Suárez, Tihui Gutiérrez (México), Lorna Feijó, Alihaydé Carreño, así como Lázaro Carreño e Carlos Junior Acosta.

Foi promotora e fundadora da “Carrera de Arte Danzario” do Instituto Superior de Arte, dirigiu o trabalho e a elaboração dos primeiros planos e programas de estudo de perfil de Ballet e foi a primeira professora da Metodologia do Ensino de Ballet de Cuba.

Ramona foi promotora e organizadora dos Festivais de Escolas de Ballet e Dança celebrados durante vinte anos nas cidades de La Habana, Camagüey, Holguín e Santiago de Cuba. A partir de 1994 liderou o trabalho dos Encontros Internacionais das Academias de Ballet e um ano mais tarde os Concursos Internacionais para estudantes de Ballet na cidade de La Habana e que constituem eventos de relevância internacional.

Seu trabalho artístico inclui aspectos como repertorista e coreógrafa, desenvolvimento em âmbito escolar e instituições profissionais como o Ballet Nacional de Cuba e o Teatro Novo de Torino, além de pedagoga e conferencista, ensinando o m’;etodo de ballet para magistrados e professores, sendo ainda jurada de importantes concursos e trabalhando na preparação de jovens talentos para participação em concursos internacinais em países como Angola, Argentina, Bolívia, Brasil, Equador, Itália, México, Nicarágua, Peru, a antiga União Soviética, Espanha e Venezuela.

Em fevereiro de 2000 Ramona foi eleita como membro do Comitê de  do Prêmio Mundial de Dança, no Principado de mônaco.

Também recebeu importantes condecorações do Governo de Cuba e outras instituições, como: Diploma por Mérito Pedagógico (Ministério da Cultura de Cuba), diploma e medalha de Fundadora da Escola Nacional de Arte, Prêmio Raúl Gómez García (Sindicato dos Trabalhadores da Cultura de Cuba), Prêmio pela Cultura Nacional de Cuba, Prêmio pela Educação Cubana, Medalha Jesús Menéndez, Medala Sosé Tey (Conselho do Estado) e Medalha Alejo Carpentier (Conselho do Estado), sendo também por 26 anos consecutivos, Membro Nacional do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Cultura.

Ramona recebeu reconhecimento e prêmios internacionais como, Vignale Danza na Itália Prize (1989), reconhecimento Nina Novak Ballet de Caracas, Venezuela (1991); Cidadão Honorário da Cidade de Torino (1992); Prêmio para o melhor maitre no Festival de Joinville, no Brasil e foi premiada em 2001 no Festival de Dança, realizado em Reggio Calabria na  Itália, recebendo o Grande Prémio para o melhor professor internacional em sua especialidade. Em Cuba foi nomeada em três edições para o Prêmio Nacional de Educação Artística, a última das quais ganhou um reconhecimento especial do júri e o Prêmio Nacional de Dança.

Em outubro de 2000, o Instituto Superior de Arte de Cuba, Ramona foi premiada com o título de Doutor Honoris Causa em arte.

Em dezembro de 2002, o CNEart, o Instituto Superior de Arte e o Ministério da Cultura concederam-lhe o Prêmio Nacional de Educação Artística, que reconhece sua carreira de maitre,  sua relação de 45 anos com o ensino de ballet em Cuba e contribuições para a Escola Cubana de Ballet.

Em janeiro de 2004, ela foi condecorada com a Ordem “Felix Varela” pelo Conselho de Estado. Em abril de 2005 Ramona recebeu a réplica do machete de Maximo Gomez na base dos méritos alcançados e história do trabalho e em  2006 o Prêmio Nacional de Dança.

Em 2008 recebe o prêmio Gitana Tropical  pelo Departamento Provincial da Cultura de Havana. Em 2011 recebeu a medalha do 50º aniversário da fundação da UNEAC e a medalha para o 50º aniversário da Escola Elementar de Ballet de Havana “Alejo Carpentier”.

Ramona continua seu aconselhamento técnico para Ballet e ministrando o Curso de Metodologia da Escola Nacional de Ballet de Cuba no Brasil, México e Itália, com excelentes resultados internacionais.

Niurka Naranjo  De Saa

Nascida na cidade La Habana, em Cuba, em 7 de janeiro de 1965, é uma profissional de dança com mais de 30 anos de experiência.

Graduada pela Escuela Nacional  de Ballet de Cuba (ENBC) com o título de Bailarina-Professora, continuou os seus estudos conseguindo a Laurea na Universidade (Instituto Superior de Arte em Cuba) na espacialidade de Arte Danzario.

Niurka interpreta diversos papéis de solista e corpo de baile em muitos repertórios clássicos como La Fille Mal Gardee,Coppelia, Lago de Cisnes, Grand Pas de Paquita, Cascanueces, Cenicienta, entre outros, trabalhando com coreógrafos e maîtres reconhecidos no âmbito da dança nacional e internacional.

Desde jovem Niurka mostra seu amor pela dança e educação e dedica-se a este aprendizado com mestres de excelência dentro da Escola Nacional de Ballet de Cuba (ENBC) como Ramona de Saá e Laura Alonso.

Começou a ensinar na Escola Elementar de Ballet de Cuba, depois na Escola Nacional de Ballet de Cuba (nível médio profissional) e, posteriormente, no Departamento de Docentes Especializados do Ballet de Cuba, como mestre e coreógrafa, aprofundando os seus conhecimentos na Metodologia Cubana de Ballet, realizando cursos dessa metodologia em eventos nacionais e internacionais, organizados pelo Departamento de Docentes Especializados do Ballet de Cuba. Nessa mesma instituição recebeu a avaliação de Maître C.

Niurka realizou sua experiência internacional trabalhando em Escolas e Companhia de países diversos como Brasil, Argentina, México, Itália e sendo convidada em diversas ocasiões como professora convidada ao Royal Ballet e Canada National Ballet School .

Juliana Pires

Nascida no meio artístico do ballet em 1977, dedicou sua formação para tornar-se maître e coreógrafa de Ballet clássico.

Faz parte de seu currículo além da  formação em dança pela Escola Nacional de Cuba (ENBC) e outras escolas como Alivin Ailey, David Howard, Juilliard School e Royal Academy of Dance.

Foi aprovada através do exame de seleção para cursar a Juilliard School mas optou por se especializar na técnica da Escola Nacional de Cuba (ENBC) onde se formou.

Formada em artes plásticas pela Fundação Álvares Penteado (FAAP), consegue trabalhar com técnica e estética do Ballet com alto nível de exigência.

Foi coreógrafa junto com Paula Castro de diversos Ballet de repertório clássico atuando também como maître e repetiteur, de montagens de sucesso.

Hoje além de coreógrafa e maître de Ballet é uma das examinadoras credenciada pelo centro nacional das escolas de artes de Cuba (Cnart) para realizar as avaliações dos alunos ENBC.

Atuou como primeira bailarina nos espetáculos: Coppelia, A Bela Adormecida, Vozes entre outros.

Será responsável pela montagem do Ballet o lago do Cisne com a orientação de Paula Castro e supervisão da maestra Ramona de Saá.

Patricia Visconti

Grande experiência na área da dança, onde trabalha há 28 anos na formação de alunos.
Professora do método Cubano de Ballet Clássico desde a sua implantação no Brasil através do Ballet Paula Castro.

Em sua formação artística estudou com importantes professores do cenário da dança, tanto no Brasil como em Londres e Cuba, onde morou para aperfeiçoar os estudos.

Participou de grandes montagens de Balet Clássico, entre eles: Coppelia, A Bela Adormecida, Quebra Nozes, Paquita, Don Quixote e outros, como 1a bailarina, e também de inúmeros Festivais Nacionais e Internacionais, sempre com destaque e premiações.

Compartilhar

Notícias

Últimas do Blog

Copyright ©2019 ENBC Brasil - Todos os direitos reservados.